Apertem os botões…

dezembro 2, 2009

Manual de Instruções

As pessoas não vêem com manual de instrução. Por isso, para descobri-las, você tem que apertar seus botões.

Ps: Observem o sexo da personagem desenhada, não me venham com pensamentos homossexuais.


Algumas verdades sobre os homens

novembro 26, 2009

Queria deixar bem claro que este texto não é meu. Entretanto, é um ótimo texto que está na Internet há algum tempo e vale a pena ler de novo.

 

Foi lendo um monte de besteiras que as mulheres escrevem em livros sobre o `universo masculino’, que resolvi escrever esse texto. Não tenho objetivo de ‘revelar’ os segredos dos homens. Não se trata de quebrar nosso código de ética. Isso vai ajudar as mulheres a entenderem os homens e, enfim, pararem de tentar nos mudar com métodos ineficazes.

Vou começar de sola. Se não estiver preparada nem continue a ler. E digo com segurança: o que escrevo aqui se aplica a 99,9% dos brasileiros (sem medo de errar).

1º) Não existe homem fiel.
Você já pode ter ouvido isso algumas vezes, mas afirmo com propriedade. É palavra de homem que conhece muitos homens e que conhecem, por sua vez, muitos homens. Nenhum homem é fiel, mas pode estar fiel, ou porque está apaixonado (algo que não dura muito tempo – no máximo alguns meses – nem se iluda) ou porque está cercado por todos os lados (veremos adiante que não adianta cercá-lo: isso vai se voltar contra você). A única exceção é o crente extremamente convicto. Se você quer um homem que seja fiel, procure um crente daqueles bitolados, mas agüente as outras conseqüências.

2º) Não desanime. O homem é capaz de te trair e de te amar ao mesmo tempo.
A traição do homem é hormonal, efêmera, para satisfazer a lascívia. Não é como a da mulher. A maioria das mulheres tem que admirar para trair; ter algum envolvimento.O homem só precisa de uma bunda. A mulher precisa de um motivo para trair, o homem precisa de uma mulher.

3º) Não fique desencantada com a vida por isso. A traição tem seu lado positivo.
Até digo, é um mal necessário. O cara que fica cercado, sem trair é infeliz no casamento, seu desempenho sexual diminui (isso mesmo, o desempenho com a esposa diminui), ele fica mal da cabeça. Entenda de uma vez por todas: homens e mulheres são diferentes. Se quiser alguém que pense como você, vire lésbica (várias já fizeram isso e deu certo), ou case com um viado enrustido que precisa de uma mulher para se enquadrar no modelo social. Se você cercar seu homem (tipo, mulher que é sócia do marido na empresa; o cara não dá um passo no dia-a-dia sem ela) você vai sufocá-lo de tal forma que ele pode até não ter espaço para lhe trair, mas seu casamento vai durar pouco e ele vai ser gordo (vai buscar a fuga na comida).

4º) Não tente mudar para seu homem ser fiel.
Não adianta. Silicone, curso de dança sensual, se vestir de enfermeira, etc… nada disso vai adiantar.É lógico que quanto mais largada você for, menor a vontade do homem de ficar com você e maior as chances do divórcio. Se ser perfeita adiantasse Julia Roberts não tinha casado três vezes. Não é você que vai ser diferente (mas é bom não desanimar e sempre dar aquela malhadinha). O segredo é dar espaço para o homem. Na maioria das vezes, quando ele não está sufocado pela mulher ele nem chega a trair, fica só nas paqueras, troca de olhares. Finja que não sabe que ele dá umas pegadas por fora. Isso é o segredo para um bom casamento. Deixe ele se distrair, eles precisam de lazer.

5º) Se você busca o homem perfeito, pode continuar vendo novela das seis.
Eles não existem nesse conceito que você imagina. Os homens perfeitos de hoje são aqueles bem desenvolvidos profissionalmente, que traem esporadicamente (uma vez a cada dois meses, por exemplo), mas que respeitam a mulher, ou seja, não gastam o dinheiro da família com amantes, não constituem outra família, não mantêm relações várias vezes com a mesma mulher (para não criar vínculos) e, sobretudo, são muuuuuito discretos: não deixam a esposa saber. Só, e somente só, um ou outro amigo DELE deve saber, faz parte do prazer do homem contar vantagem sexual. Pegar e não falar para os amigos é pior do que não pegar.

6º)ESSE TÓPICO NÃO É PARA AS ESPOSAS – É PARA AS SOLTEIRAS OU AMANTES:
Esqueçam de uma vez por todas esse negócio que homem não gosta de mulher fácil. Homem adora mulher fácil. Se ‘der’ de prima então, é o máximo. Todo homem sabe que não existe mulher santa. Se ela está se fazendo de difícil ele parte para outra. A demanda é muito maior do que a procura. O mercado tá cheio de mulher gostosa. O que homem não gosta é de mulher que liga no dia seguinte. Isso não é ser fácil, é ser problemática (mulher problema). O fato de você não ligar para o homem e ele gostar de você não quer dizer que foi por você se fazer de difícil, mas sim por você não representar ameaça para ele. Ele vai ficar com tanta simpatia por você que você pode até conseguir fisgá-lo e roubá-lo da mulher. Ele vai começar a se envolver sem perceber. Vai começar ELE a te procurar. Se ele não te procurar era porque ele só queria aquilo mesmo. Não se sinta usada, você também fez uso do corpo dele – faz parte do jogo; guarde como um momento bom de sua vida.

7º) 90% dos homens não querem nada sério.
Os 10% restantes estão momentaneamente cansados da vida de balada ou estão ficando com má fama por não estarem casados ou enamorados; por isso procuram casamento. Portanto, são máximas as chances do homem mentir em quase tudo que te fala no primeiro encontro (ele só quer te comer, sempre). Não seja idiota, aproveite o momento, finja que acredita que ele está apaixonado e dê logo para ele (e corra o risco de fisgá-lo) ou então nem saia com ele. Fazer doce só agrava a situação, estamos em 2007 e não em 1957. Esqueça os conselhos da sua avó, os tempos são outros.

8º) Para ser uma boa esposa e para ter um casamento pelo resto da vidafaça o seguinte:
Tente achar o homem perfeito do 5º item, dê espaço para ele. Não o sufoque. Ele precisa de um tempo para sua satisfação. Seja uma boa esposa, mantenha-se bonita, malhe, tenha uma profissão (não seja dona de casa),seja independente e mantenha o clima legal em casa. Nada de sufocos, de `conversar sobre a relação’, de ficar mexendo no celular dele, de ficar apertando o cerco, etc. Se ele perceber ou ficar sem saída, vai se sentir ameaçado e o casamento vai começar a ruir.

9º) Se você está revoltada por ler isso, aqui vai um conselho:
Vá tomar uma água e volte para ler com o espírito desarmado. Se revoltar quanto ao que está escrito não vai resolver nada em sua vida. Acreditar que o que está aqui é mentira ou exagero pode ser uma boa técnica (iludir-se faz parte da vida, se você é dessas, boa sorte!). Mas tudo é a pura verdade. Seu marido/noivo/namorado te ama, tenha certeza, senão não estaria com você, mas trair é como um remédio; um lubrificante para o motor do carro. Isso é científico. O homem que você deve buscar para ser feliz é o homem perfeito do item 5º. Diferente disso ou é crente, ou viado ou tem algum trauma (e na maioria dos casos vão ser pobres). O que você procura pode ser impossível de achar, então, procure algo que você pode achar e seja feliz ao invés de passar a vida inteira procurando algo indefectível que você nunca vai encontrar.


Pra você

outubro 5, 2009

E ela falou que seria ela…. Foi ruim demais ter negado.  😦
Em algum momento há uma semana eu falei que minha lista tinha sido atualizada. Só que deixou de ser lista há muito tempo: virou apenas um nome, ou melhor, O NOME, e vai ser durante muito tempo.
Falei isso perto de uma amiga, e dela: todas acharam que era com a “de sempre”. Quem é a “de sempre” perto dessa mulher? Ninguém.
E em um determinado momento ela falou: Eu!
E realmente era ela. Mas como eu ia confirmar? Sabendo que elas nunca me levam (e talvez nunca irão) me levar a sério?
Mas é ela:

Você.

Esse post foi pra uma pessoa que talvez nunca chegue a ler isto mas, espero, sinceramente, que ela leia em um tempo breve. Tudo isso porque tá foda, não paro de pensar e disfarçar tá cada vez mais difícil.


Eu não morri!

agosto 18, 2009

Voltei às faculdades (eu faço duas) e o mês de Julho foi tenso! Cheio de histórias pra contar! No final de semana prometo postar alguma delas… 🙂


Casei! E agora?

junho 16, 2009

Não, eu não  me casei no sentido literal da palavra! Sequer namorei sério, quanto mais casar, nem me passa pela cabeça. Este título é sobre o feriado que passou (de Corpus Christ), nele, casei!

Para aqueles que não estão familiriazidos com esta gíria, eu vos explico o que significa. “Casar” significa ficar com a mesma pessoa durante um certo período de tempo, agindo feito um casal de namorados, em eventos onde a probabilidade e oportunidade de se ficar com mais de uma pessoa são enormes. E.g. carnaval, feriados prolongados na praia, micaretas, etc.

A última vez em que me lembro de ter feito isso foi no Carnaval de 2007 em Diamantina, mesmo assim, só fiquei “casado” por dois dias. Depois que ela finalmente aceitou fazer sexo comigo eu dei um perdido e não a vi o resto do Carnaval. Além do mais, dois dias, no Carnaval, é um tempo ridículo. Sim, eu já fui péssimo nisso! Felizmente o tempo passa.

Neste feriado viajei para um local em Minas famoso por suas mansões e gente bonita. Lá aconteceriam várias festas e, para fechar com chave de ouro, uma micareta. Saí da minha cidade com um só intuito: pegar o máximo de mulheres possíveis. Entretanto, a viagem foi cansativa e na primeira festa eu não estava no pique, mal consegui beber.

Sexta-feira a história foi outra: ficamos em um sítio alugado, a galera de lá era muito animada. Churrasco e bebidas animaram a todos e a festa à noite prometia muito mais do que na noite anterior. Fomos pra lá e, realmente, o clima era outro. Entrei no clima de feriado, comecei a beber, a me entrosar com todos até que vi uma loira de olhos verdes que ao meu ver nem era lá grandes coisas. Pra mim seria uma mulher normal, na média.

Meus amigos estavam espalhados pela festa então ninguém me viu chegando nesta loira. Ela e uma outra mulher do grupinho de amigos dela já estavam me olhando há muito tempo. Eu só tive que escolher a mais gata e partir pra cima. A chegada foi padrão, nada demais, essa loira já estava no papo. Não deu outra, 2 minutos de conversa e eu já estava com minha língua dentro da boca dela (que sutileza, não?).

O fato é que rolou química e eu gostei do beijo da garota. Por isso fiquei a festa inteira com ela (comecei a ficar com ela no comecinho), mesmo com tanto potencial para explorar o local. No final da festa reencontrei com meus amigos (lembrando que eu estava com minha loira ainda) e ficamos trocando idéia na saída esperando aqueles que ainda estavam dentro da festa.

Sobrou um lugar no carro que eu estava e por isso demos carona para minha ficante da noite. Foi só ela sair e começaram os comentários:

“Puta que pariu! De onde você tirou essa mulher?”

“Você a hipnotizou? Como você conseguiu pegar aquela mulher?”

“Arruma uma loira dessas pra mim também, filho da puta!”

Os comentários foram daí pra baixo.

Sinceramente, não a achei grandes coisas. Como falei anteriormente, pra mim, ela ainda é uma mulher normal, que não me exige muito esforço pra pegar. Posso não ser um Brad Pitt da vida, mas também não sou nenhum Tião Macalé (NOJENTO, TCHAN!).

O dia seguinte seria a micareta que todos estávamos esperando, ia ser a tarde/noite de abater o maior número de mulheres possíveis. O dia foi de pura bebedeira, chegamos ao local do evento transloucados, trocando as pernas, chamando urubu de meu loiro!

Assim que entrei no show encontrei a loira da noite anterior e com ela fiquei até o final. Casei na micareta, casei no feriado. O pior de tudo que eu estava adorando aquele climinha de namorados. Eu conheci todos os amigos dela e ela conheceu os meus também. O engraçado foi ouvir o mesmo tipo de comentários daqueles que não a tinham visto na noite anterior.

Dois pontos importantes que eu pude notar: eu tanto frisei a beleza da garota porque se meus amigos não tivessem a achado linda do jeito que eles falaram, eu, provavelmente, não teria me casado com ela durante o feriado. Ela era loira dos olhos verdes, baixinha, não é meu tipo favorito, mas também gosto de loiras. Outro ponto importante foi eu ter gostado tanto de estar casado no feriado!

Não senti a menor falta de ficar com outras mulheres (apesar de que quando ela foi ao banheiro eu dei um perdido e fiquei com uma morena – minhas favoritas – do olho azul, que depois vir a descobrir que era amiga dessa loira). Por isso me pergunto se está chegando a hora de encontrar alguém e ficar quieto, fora do mercado, de vez. Tenho 21 anos e nunca namorei, em minhas ficadas sérias nunca fui fiel – nem cobrei fidelidade – e nenhuma durou tempo suficiente para me importar de verdade com a garota.

Ao chegar em casa a primeira coisa que fiz foi ligar pra mulher que eu estou ficando há 2 ou 3 meses (não me lembro). Conversamos e descobri que ela ficou com um cara no feriado também, segundo ela foi só por uma noite e não rolou nada.

Confesso que fiquei com ciúmes, confesso que fiquei puto da vida, confesso que eu fiquei com raiva, confesso que aquele meu pensamento infantil me veio à cabeça e confesso que não consigo tirá-lo daqui. Amanhã vou sair solteiro com meus amigos. Quanto mais eu pegar, melhor.


Pensamento infantil

maio 24, 2009

Ontem saí, fui em uma famosa boate aqui da minha cidade. Sexta-feira discuti com minha “ficante oficial” e sequer saí de casa, estava cansado e com preguiça. O motivo da discussão foi um cara que ela é apaixonada.

A história deles é a seguinte: Os dois ficavam, ela apaixonou e ele a “chifrou” (entre aspas porque eles não tinham compromisso oficialmente). Enfim, isso há uns 3 ou 4 meses atrás. Tanto que quando eu a conheci ela me deixou ciente de que gostava de outro, por mim, tudo bem, quem estava ficando com ela era eu mesmo.

Até sexta passada estava tudo bem entre nós, por isso a chamei pra sair, como sempre. Ela inventou mil desculpas, depois falou alguma coisa desse “ex”, pela qual ela é apaixonada. Na hora mesma hora o sangue subiu. Ora, eu sei que ela é apaixonada por esse cara, mas precisa ficar falando sempre nele? E eu já havia pedido pra parar de falar no cara quando estivesse comigo, deixei bem claro que eu não sou o amigo confidente (leia-se, gay) que tem que ficar ouvindo o que o cara que ela gosta fez ou deixou de fazer com a digníssima. Se a pessoa está comigo, finge que gosta, pelo menos. Ela estava mal por causa do cara, mas até saber disso eu aceitei todas as mil desculpas que ela deu na boa. Só fiquei puto quando ela, subitamente, resolveu mudar de ideia e disse que ia prestigiar a festa que esse cara estava dando, mesmo falando que nunca mais iria querer ver o cara nem pintado de ouro.

Não tenho nada sério com ela, mas estava ficando apenas com ela. Acho que me acomodei. Por isso ontem resolvi sair com um só objetivo: pegar mulher. Quanta maturidade da minha parte, não!?

Sem entrar no mérito desse meu pensamento, a noite foi ótima. Fiquei com uma mulher linda (branquinha, cabelo preto comprido, ondulado). O intuito desse post é falar sobre minha atitude.

Já percebi que quando eu estou puto com alguma mulher eu consigo agir melhor com as outras. Acho que é algo que mexe com meu ego, discutir com uma mulher. Já comentei isso com amigas e elas falam que eu sou meio inseguro e por isso minha rotatividade é tão alta. Até pode ser, mas o fato é: adoro essa tal rotatividade!

A noite começou tranquila, marquei às 22h com um amigo meu na porta da boate. Como sabia que uma amiga minha estava indo pra lá também liguei para a mesma. Dei carona pra ela e uma amiga dela. Isso foi ótimo, porque, nessa boate, há uma fila pra homem e uma fila só pra casal e/ou mulher, fila esta que anda muito mais rápido do que a anterior. Entramos em cerca de 5 minutos e ainda por cima ganhamos cortesia do cara que toma conta dos carros.

Lá dentro a gente começou a beber de leve: pedimos um balde com 5 Skol Beats, depois pedimos um balde com 5 Smirnoff Ice. Quando nós acabamos de bebê-los eu e meu amigo (que ficou a noite inteira mascando a amiga para qual dei carona) resolvemos agir. Ele foi mascar mais ainda minha amiga e eu fui dar um rolé pela boate, sempre com aquele pensamento em minha mente.

Até que encontrei essa mulher, achei ela linda, entretanto um anão cara de mais ou menos 1,65m estava chegando nela. A cena estava hilária, ela era mais alta que o cara. Não teve como não rir. Desculpem-me os baixinhos, mas, sim, vocês estão em desvantagem. Ela cortou o cara, lógico, mas eu continuei a apenas vê-la dançar. Passou um tempo (menos de 2 minutos, acredito) um tiozão começou a chegar nela. Como eu estava bêbado comecei a rir mais ainda da situação. Foi quando, com o tiozão ainda chegando nela e vendo que ela não dava a menor bola, abordei a garota:

– Oi, eu tenho 21 anos e mais de 1,80m. Se você conversou com aqueles caras, vai poder me dar a honra de conversar comigo também!

Ela começou a rir na hora e o papo engrenou. Ela falou que tinha namorado, mas, e daí? Ela estava rindo pra mim toda hora, e com os caras ela só ficava séria. Depois ela me me confessou que minha cantada foi muito criativa e, por isso, deu abertura para que eu pudesse conversar. O papo estava fluindo, então resolvemos tomar tequila. Como diz um amigo meu: fiquei mais louco que o batman!

Depois da dose o inevitável aconteceu: fiquei com ela. Não sei se a desculpa do namorado era real ou não, também não me interessa. Fiquei com ela grande parte da noite quando ela foi embora. Dever cumprido!

Talvez (ou melhor, com toda certeza) meu pensamento é um tanto quanto infantil. Nem ligo, só sei que funciono melhor quando estou com “raiva” de alguma outra mulher por alguma coisa que ela fez comigo (ou deixou de fazer). As mulheres mais lindas que já fiquei, foram nesses momentos. Preciso discutir com alguém. 🙂


Conversas de MSN…

maio 20, 2009

Li* diz:
ahhahahahhaahahahahha
D . diz:
Lembra de um programa da mtv q a fernanda lima apresentava??? q era tipo o beija sapo da daniela cicarelli???
Li* diz:
sim sim fica comigo?
D . diz:
Claro!

E o mundo gira ao redor do MSN!