Pensamento infantil

Ontem saí, fui em uma famosa boate aqui da minha cidade. Sexta-feira discuti com minha “ficante oficial” e sequer saí de casa, estava cansado e com preguiça. O motivo da discussão foi um cara que ela é apaixonada.

A história deles é a seguinte: Os dois ficavam, ela apaixonou e ele a “chifrou” (entre aspas porque eles não tinham compromisso oficialmente). Enfim, isso há uns 3 ou 4 meses atrás. Tanto que quando eu a conheci ela me deixou ciente de que gostava de outro, por mim, tudo bem, quem estava ficando com ela era eu mesmo.

Até sexta passada estava tudo bem entre nós, por isso a chamei pra sair, como sempre. Ela inventou mil desculpas, depois falou alguma coisa desse “ex”, pela qual ela é apaixonada. Na hora mesma hora o sangue subiu. Ora, eu sei que ela é apaixonada por esse cara, mas precisa ficar falando sempre nele? E eu já havia pedido pra parar de falar no cara quando estivesse comigo, deixei bem claro que eu não sou o amigo confidente (leia-se, gay) que tem que ficar ouvindo o que o cara que ela gosta fez ou deixou de fazer com a digníssima. Se a pessoa está comigo, finge que gosta, pelo menos. Ela estava mal por causa do cara, mas até saber disso eu aceitei todas as mil desculpas que ela deu na boa. Só fiquei puto quando ela, subitamente, resolveu mudar de ideia e disse que ia prestigiar a festa que esse cara estava dando, mesmo falando que nunca mais iria querer ver o cara nem pintado de ouro.

Não tenho nada sério com ela, mas estava ficando apenas com ela. Acho que me acomodei. Por isso ontem resolvi sair com um só objetivo: pegar mulher. Quanta maturidade da minha parte, não!?

Sem entrar no mérito desse meu pensamento, a noite foi ótima. Fiquei com uma mulher linda (branquinha, cabelo preto comprido, ondulado). O intuito desse post é falar sobre minha atitude.

Já percebi que quando eu estou puto com alguma mulher eu consigo agir melhor com as outras. Acho que é algo que mexe com meu ego, discutir com uma mulher. Já comentei isso com amigas e elas falam que eu sou meio inseguro e por isso minha rotatividade é tão alta. Até pode ser, mas o fato é: adoro essa tal rotatividade!

A noite começou tranquila, marquei às 22h com um amigo meu na porta da boate. Como sabia que uma amiga minha estava indo pra lá também liguei para a mesma. Dei carona pra ela e uma amiga dela. Isso foi ótimo, porque, nessa boate, há uma fila pra homem e uma fila só pra casal e/ou mulher, fila esta que anda muito mais rápido do que a anterior. Entramos em cerca de 5 minutos e ainda por cima ganhamos cortesia do cara que toma conta dos carros.

Lá dentro a gente começou a beber de leve: pedimos um balde com 5 Skol Beats, depois pedimos um balde com 5 Smirnoff Ice. Quando nós acabamos de bebê-los eu e meu amigo (que ficou a noite inteira mascando a amiga para qual dei carona) resolvemos agir. Ele foi mascar mais ainda minha amiga e eu fui dar um rolé pela boate, sempre com aquele pensamento em minha mente.

Até que encontrei essa mulher, achei ela linda, entretanto um anão cara de mais ou menos 1,65m estava chegando nela. A cena estava hilária, ela era mais alta que o cara. Não teve como não rir. Desculpem-me os baixinhos, mas, sim, vocês estão em desvantagem. Ela cortou o cara, lógico, mas eu continuei a apenas vê-la dançar. Passou um tempo (menos de 2 minutos, acredito) um tiozão começou a chegar nela. Como eu estava bêbado comecei a rir mais ainda da situação. Foi quando, com o tiozão ainda chegando nela e vendo que ela não dava a menor bola, abordei a garota:

– Oi, eu tenho 21 anos e mais de 1,80m. Se você conversou com aqueles caras, vai poder me dar a honra de conversar comigo também!

Ela começou a rir na hora e o papo engrenou. Ela falou que tinha namorado, mas, e daí? Ela estava rindo pra mim toda hora, e com os caras ela só ficava séria. Depois ela me me confessou que minha cantada foi muito criativa e, por isso, deu abertura para que eu pudesse conversar. O papo estava fluindo, então resolvemos tomar tequila. Como diz um amigo meu: fiquei mais louco que o batman!

Depois da dose o inevitável aconteceu: fiquei com ela. Não sei se a desculpa do namorado era real ou não, também não me interessa. Fiquei com ela grande parte da noite quando ela foi embora. Dever cumprido!

Talvez (ou melhor, com toda certeza) meu pensamento é um tanto quanto infantil. Nem ligo, só sei que funciono melhor quando estou com “raiva” de alguma outra mulher por alguma coisa que ela fez comigo (ou deixou de fazer). As mulheres mais lindas que já fiquei, foram nesses momentos. Preciso discutir com alguém. 🙂

Anúncios

2 Responses to Pensamento infantil

  1. Babi disse:

    …diria que é coisa de homem…kkkk
    necessidade de mostrar que pode…” se você não quer…pegou outra ou outras….”
    Mas acho que tu tem mais é que curtir…infantil foi a menina que ficou falando de outro pra ti…mulher burra…esse joguinho de falar de outro pra ver se o atual fica com ciúme é muito bobo…criancice da braba…. e outra você é novinho, tem muita coisa pra viver ainda…
    Bjs e boa semana!

  2. Renata disse:

    nossa, jura que você fica bebado tomando skol beats e smirnoff ice?!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: