Casei! E agora?

junho 16, 2009

Não, eu não  me casei no sentido literal da palavra! Sequer namorei sério, quanto mais casar, nem me passa pela cabeça. Este título é sobre o feriado que passou (de Corpus Christ), nele, casei!

Para aqueles que não estão familiriazidos com esta gíria, eu vos explico o que significa. “Casar” significa ficar com a mesma pessoa durante um certo período de tempo, agindo feito um casal de namorados, em eventos onde a probabilidade e oportunidade de se ficar com mais de uma pessoa são enormes. E.g. carnaval, feriados prolongados na praia, micaretas, etc.

A última vez em que me lembro de ter feito isso foi no Carnaval de 2007 em Diamantina, mesmo assim, só fiquei “casado” por dois dias. Depois que ela finalmente aceitou fazer sexo comigo eu dei um perdido e não a vi o resto do Carnaval. Além do mais, dois dias, no Carnaval, é um tempo ridículo. Sim, eu já fui péssimo nisso! Felizmente o tempo passa.

Neste feriado viajei para um local em Minas famoso por suas mansões e gente bonita. Lá aconteceriam várias festas e, para fechar com chave de ouro, uma micareta. Saí da minha cidade com um só intuito: pegar o máximo de mulheres possíveis. Entretanto, a viagem foi cansativa e na primeira festa eu não estava no pique, mal consegui beber.

Sexta-feira a história foi outra: ficamos em um sítio alugado, a galera de lá era muito animada. Churrasco e bebidas animaram a todos e a festa à noite prometia muito mais do que na noite anterior. Fomos pra lá e, realmente, o clima era outro. Entrei no clima de feriado, comecei a beber, a me entrosar com todos até que vi uma loira de olhos verdes que ao meu ver nem era lá grandes coisas. Pra mim seria uma mulher normal, na média.

Meus amigos estavam espalhados pela festa então ninguém me viu chegando nesta loira. Ela e uma outra mulher do grupinho de amigos dela já estavam me olhando há muito tempo. Eu só tive que escolher a mais gata e partir pra cima. A chegada foi padrão, nada demais, essa loira já estava no papo. Não deu outra, 2 minutos de conversa e eu já estava com minha língua dentro da boca dela (que sutileza, não?).

O fato é que rolou química e eu gostei do beijo da garota. Por isso fiquei a festa inteira com ela (comecei a ficar com ela no comecinho), mesmo com tanto potencial para explorar o local. No final da festa reencontrei com meus amigos (lembrando que eu estava com minha loira ainda) e ficamos trocando idéia na saída esperando aqueles que ainda estavam dentro da festa.

Sobrou um lugar no carro que eu estava e por isso demos carona para minha ficante da noite. Foi só ela sair e começaram os comentários:

“Puta que pariu! De onde você tirou essa mulher?”

“Você a hipnotizou? Como você conseguiu pegar aquela mulher?”

“Arruma uma loira dessas pra mim também, filho da puta!”

Os comentários foram daí pra baixo.

Sinceramente, não a achei grandes coisas. Como falei anteriormente, pra mim, ela ainda é uma mulher normal, que não me exige muito esforço pra pegar. Posso não ser um Brad Pitt da vida, mas também não sou nenhum Tião Macalé (NOJENTO, TCHAN!).

O dia seguinte seria a micareta que todos estávamos esperando, ia ser a tarde/noite de abater o maior número de mulheres possíveis. O dia foi de pura bebedeira, chegamos ao local do evento transloucados, trocando as pernas, chamando urubu de meu loiro!

Assim que entrei no show encontrei a loira da noite anterior e com ela fiquei até o final. Casei na micareta, casei no feriado. O pior de tudo que eu estava adorando aquele climinha de namorados. Eu conheci todos os amigos dela e ela conheceu os meus também. O engraçado foi ouvir o mesmo tipo de comentários daqueles que não a tinham visto na noite anterior.

Dois pontos importantes que eu pude notar: eu tanto frisei a beleza da garota porque se meus amigos não tivessem a achado linda do jeito que eles falaram, eu, provavelmente, não teria me casado com ela durante o feriado. Ela era loira dos olhos verdes, baixinha, não é meu tipo favorito, mas também gosto de loiras. Outro ponto importante foi eu ter gostado tanto de estar casado no feriado!

Não senti a menor falta de ficar com outras mulheres (apesar de que quando ela foi ao banheiro eu dei um perdido e fiquei com uma morena – minhas favoritas – do olho azul, que depois vir a descobrir que era amiga dessa loira). Por isso me pergunto se está chegando a hora de encontrar alguém e ficar quieto, fora do mercado, de vez. Tenho 21 anos e nunca namorei, em minhas ficadas sérias nunca fui fiel – nem cobrei fidelidade – e nenhuma durou tempo suficiente para me importar de verdade com a garota.

Ao chegar em casa a primeira coisa que fiz foi ligar pra mulher que eu estou ficando há 2 ou 3 meses (não me lembro). Conversamos e descobri que ela ficou com um cara no feriado também, segundo ela foi só por uma noite e não rolou nada.

Confesso que fiquei com ciúmes, confesso que fiquei puto da vida, confesso que eu fiquei com raiva, confesso que aquele meu pensamento infantil me veio à cabeça e confesso que não consigo tirá-lo daqui. Amanhã vou sair solteiro com meus amigos. Quanto mais eu pegar, melhor.

Anúncios

Uma madrugada no sítio

maio 4, 2009

No último fim de semana fui para o sítio com uma ficante, algo totalmente decidido em cima da hora. Compramos vodka, refrigerantes, chocolate (haha ela adora) e salgadinhos pra passar a madrugada lá… Só que ela nao tinha roupa de frio e começamos a noite do lado de fora: um lugar todo arborizado, de madrugada, faz frio. Foi quando ela vestiu minha blusa de frio, que estava no carro, até aí tudo bem, fui cavalheiro e emprestei minha blusa, nada provocante.

Depois do sexo ficamos conversando na cama e ela colocou minha blusa novamente, só que sem nada por baixo! Achei aquela cena linda, e, quando eu a vi só com minha blusa de frio (que é de zíper, estava meio aberta, formando um tipo de decote) levantando-se para pegar mais bebida, não resisti. A cena da blusa (que ficou larga nela, semi-aberta e tampando poucos centímetros abaixo da virilha) com suas pernas de fora foi o estopim para mais uma. O que ajudou também foi a cara de safada que ela fez, claro, e um “mini-striptease” da minha blusa… Foi irresístivel.

A noite foi maravilhosa. Infelizmente, por problemas com camisinha, tivemos que sair correndo de lá para a farmácia mais próxima (que ficava há mais de 20 minutos de distância) para comprar a pílula do dia seguinte.  Estou tenso, espero que nada aconteça!